Aquíferos

Webnode

 

Aqüífero é toda formação geológica em que a água pode ser armazenada e que possua permeabilidade suficiente para permitir que esta se movimente. Vê-se, portanto, que para ser um aqüífero, uma rocha ou sedimento tem que ter porosidade suficiente para armazenar água, e que estes poros ou espaços vazios tenham dimensões suficientes para permitir que a água possa passar de um lugar a outro, sob a ação de um diferencial de pressão hidrostática.

 

Existem dois tipos de Aqüíferos:

  • Aqüífero livre ou freático – é um extrato permeável, parcialmente saturado de água, cuja base é uma camada impermeável ou semipermeável. O topo é limitado pela própria superfície livre da água também chamado de superfície freática, sobre pressão atmosférica. Ele tende a ter um perfil mais ou menos semelhante ao perfil da superfície do terreno. O lençol freático está geralmente perto da superfície, em vales de rios e a maiores profundidades em altos topográficos.
  • Aqüífero confinado ou artesiano – é um aqüífero completamente saturado de águas, cujo limite superior (teto) e inferior (piso) são extratos impermeáveis. A água desse aqüífero chama –se artesiana ou confinada e sua pressão é, geralmente, mais alta que a pressão atmosférica. Por isso quando se perfura o aqüífero, a água sobe para um nível bem superior, podendo até jorrar. O poço do município de Ibiporã, norte do Estado do Paraná, projetado e perfurado pela SUDERHSA em parceria com a Prefeitura Municipal/Sistema Autônomo é um exemplo, o qual a água jorra a metros com vazão de surgência de 750 m3/h. Nesse aqüífero a contaminação quando ocorre, é muito mais lenta e os custos para recuperação podem ser proibitivos.

 

A fonte de recarga natural para a maioria dos aqüíferos é a precipitação, onde a infiltração ocorre nas regiões denominadas de áreas de recarga. Além da precipitação superficial, outros fatores são considerados, como: constituição geológica e natureza das camadas, declividades das camadas e área da seção de contribuição (extensão).

 

Um aquífero passa a ser confinado quando está situado entre dois aquiclude (camada de baixa permeabilidade)

Fonte: Para entender a Terra

 

 

Tipos de Aqüíferos Relacionados com as Rochas Armazenadoras:

Tipos de porosidade em rochas sedimentares

Fonte: http://maisbiogeologia.blogspot.com/

 

  • Aqüíferos Porosos: ocorre em rochas sedimentares consolidadas, sedimentos inconsolidados e solos arenoso decompostos in situ. Constituem os mais importantes aqüíferos, pelo grande volume de água que armazenam, e por sua ocorrência em grandes áreas. Estes aqüíferos ocorrem nas bacias sedimentares e em todas as várzeas onde se acumularam sedimentos arenosos. Uma particularidade deste tipo de aqüífero é a sua porosidade quase sempre homogeneamente distribuída (isotropia), permitindo que a água escoe para qualquer direção, em função tão somente dos diferenciais de pressão hidrostática ali existentes. No Brasil, localiza-se a maior reserva subterrânea de água doce do mundo, chamada Aquífero Guarani. É considerado um dos maiores aquíferos porosos existentes, com aproximadamente 1,2 milhão de km², sendo a maior parte da área ocupada pelo aquífero presente no subsolo do centro-sudoeste do Brasil.

Comparação entre estoque de águas subterrâneas com as bacias sedimentares

Fonte: FUVEST (2007)

 

  • Aqüíferos Fraturados ou Fissurados: ocorrem em rochas ígneas e metamórficas. A capacidade destas rochas em acumularem água está relacionada à quantidade de fraturas, suas aberturas e intercomunicação. No Brasil a importância desses aqüíferos está muito mais em sua localização geográfica, do que na quantidade de água armazenada. Poços perfurados nestas rochas fornecem poucos metros cúbicos de água por hora. A possibilidade de ter um poço produtivo dependerá, tão somente, de o mesmo interceptar fraturas capazes de conduzir água. Nestes aqüíferos a água só pode fluir onde houver fraturas, que, quase sempre, tendem a ter orientações preferenciais, e por isto, são meios denominados como anisotrópicos.Um caso particular de aqüífero fraturado é representado pelos derrames de rochas ígneas vulcânicas basálticas, das grandes bacias sedimentares brasileiras, a exemplo do aqüífero Serra Geral que ocorre no terceiro planalto paranaense. Estas rochas, apesar de ígneas, são capazes de fornecer volumes de água dez vezes maiores do que a maioria das rochas ígneas e metamórficas.

 

  • Aqüíferos Cársticos: são aqüíferos formados em rochas carbonáticas. Constituem um tipo peculiar de aqüífero fraturado, onde as fraturas, devido à dissolução do carbonato pela água, podem atingir aberturas muito grandes, criando, neste caso, verdadeiros rios subterrâneos. No Estado do Paraná, exemplo típico desse aqüífero ocorre na região metropolitana de Curitiba, abrangendo principalmente os municípios de Almirante Tamandaré, Colombo, Campo Magro, Rio Branco do Sul, Campo Largo e Bocaiúva do Sul.

 

Zonas cársticas

Fonte: Para entender a Terra

 

 

Texto adaptado de: http://www.aguasparana.pr.gov.br/


---------------------------------------------------------------------------

Webnode